IDN - Instituto da Defesa Nacional
início do site
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
IDN - Instituto da Defesa Nacional
Início > Publicações > Atena > A Organização das Nações Unidas e a Questão Colonial Portuguesa
       < Anterior          Seguinte >
imagem capa atena
N.º 37 - 2017
A Organização das Nações Unidas e a Questão Colonial Portuguesa
 

O IDN editou o n.º 37 da Coleção Atena, intitulado “A Organização das Nações Unidas e a Questão Colonial Portuguesa: 1960-1974” da autoria de Aurora Almada e Santos.

Este livro aborda o diferendo entre a Organização das Nações Unidas e o governo português quanto à luta pela autodeterminação e independência das colónias portuguesas entre 1961-1974. A Organização das Nações Unidas tem sido responsável pelo desenvolvimento de ideias, como a da autodeterminação, que por vezes adquirem o estatuto de mecanismos de regulação das relações internacionais. A ideia de autodeterminação foi inicialmente concebida de forma genérica, não tendo sido associada às disposições relativas aos territórios dependentes. Num longo processo de institucionalização, que foi bastante controverso, passou gradualmente a significar o direito dos povos determinarem livremente o seu destino. Com a admissão de Portugal enquanto Estado-membro, a Organização desenvolveu esforços para conseguir que o governo português implementasse a autodeterminação nas suas colónias.

Ao recusar-se a aplicar as resoluções adotadas, o governo português suscitou o desenvolvimento de novos procedimentos, que resultaram numa evolução empírica das disposições então existentes. Como se procura demonstrar, a análise da questão colonial portuguesa acabou por influenciar o debate mais amplo sobre a autodeterminação, obrigando as Nações Unidas a introduzir modificações na ideia, que ainda assim não perdeu o seu carácter controverso.

348 páginas
ISBN 978-972-9393-39-6
PVP: 20 euros


menu instituto
 
Condições de utilização e política de privacidade | © 2010 Instituto da Defesa Nacional. Todos os direitos reservados.